Refletindo sobre impacto: Consequências positivas do coronavírus no meio ambiente.

Refletindo sobre impacto: Consequências positivas do coronavírus no meio ambiente.

É inegável o impacto devastador que o coronavírus vem causando no mundo, impacto esse significante nas três esferas: econômica, social e ambiental. Estamos vivendo hoje uma rotina à qual não estamos acostumados e uma crise não esperada por muitos países, mas que, infelizmente, cultivamos. Olhando de forma macro esse contexto, em meio a tanta poluição, uma reflexão é necessária: estamos fracassando em nossa relação com o meio ambiente. Mas como diz Napoleon Hill: “todo fracasso é uma semente de benefício equivalente ou maior se tivermos atitude mental positiva. No meio de tantas derrotas e notícias ruins existe sim vitórias, e quem está se beneficiando disso é justamente a natureza.

O isolamento social requerido com medida para o COVID-19 está sendo difícil para muitos, gerando bastante ansiedade e muitos problemas na economia mundial. Contudo, existem sim pontos positivos a serem analisados! Refletir sobre nosso impacto é acima de tudo entender as consequências de nossas ações, sejam elas positivas ou negativas. Perceber benefícios à natureza é sem dúvida um ato de esperança, pois nos força a observar as inúmeras possibilidades de pensar conjuntamente no econômico e no ambiental.

Um bom exemplo de como a natureza mostrou que ainda há esperança, foi com o impacto positivo do coronavírus em Veneza. Apesar de sabermos que talvez esse alívio seja por pouco tempo (pois em breve a população e turistas estará de volta às suas atividade), fotos dos canais de Veneza foram divulgadas mostrando águas cristalinas, peixes, cisnes e golfinhos circulando pelos canais! Nós da SOMMAR pesquisamos para vocês se de fato as informações estão corretas. Apesar de encontrarmos algumas fake news em relação ao assunto abordado, podemos dizer que existe sim motivos para se alegrar.

Contextualizando o assunto: O movimento de barcos nos portos de Veneza tornava o ambiente difícil para a circulação de animais como cisnes e golfinhos, porém agora que os italianos estão praticamente impossibilitados de sair de casa e o número de turista diminuiu completamente, quem aproveita essa pausa da vida cotidiana são os animais.

As águas realmente estão cristalinas e totalmente limpas? Sim e não. As águas encontram-se visualmente cristalinas, mas infelizmente ainda não estão limpas. Quando as embarcações passam, essas reviram os leitos dos canais de Veneza, trazendo à superfície sedimentos e deixando as águas mais turvas. Com a quarentena decretada em face do COVID-19, cessou o número de turistas e atividades de transporte nos canais. Sem esse tipo de movimentação nas elas ficam imediatamente mais claras e os animais se sentem à vontade para nadar onde antes era praticamente impossível. Sabia que fazia décadas que não viam golfinhos em Veneza?

Ok, as águas não estejam realmente limpas, mas será que houve impacto na qualidade do ar? Sim!
O afastamento social dos turistas de Veneza devido o COVID-19 foi seguida da informação que o ar da cidade ficou mais puro. Essa mesma constatação também aconteceu em muitos países, e há sim relação entre esses dois fatos: após a decretação da pandemia do coronavírus houve uma redução das emissões de gases que contribuem para as mudanças climáticas. Alguns dos dados que encontramos: Na China, com o fechamento de lojas, fábricas, a diminuição de viagens para o país, houve um declínio substancial no consumo de combustíveis fósseis na região, ocasionando uma redução de pelo menos 25% das emissões de dióxido de carbono (CO₂) da China (qual a fonte dessa informação?). Sabem o que isso significa? Devemos constantemente analisar o impacto de nossas ações, sejam elas quais forem: ações de produção, de consumo, de transporte… Para um dos países que mais poluem o planeta, o fato de existir essa diminuição de emissão é ótima para o meio ambiente! Mas será que eles estão refletindo sobre esse impacto? Sem reflexão não há como sustentar uma mudança positiva. Aqui na SOMMAR acreditamos que precisamos ser conscientes sobre nosso impacto, e sobretudo, responsáveis por eles.

Sabemos que mundialmente iremos sofrer bastante economicamente com toda essa crise gerada pelo Coronavírus. Mas mais uma vez, voltemos ao ponto: há reflexões que podem nos auxiliar a mudar e crescer positivamente? Esse momento de isolamento fez com que alguns empresários repensassem formas de trabalho e aumentassem seu senso de responsabilidade por seus funcionários! Um bom exemplo disso (e que também aderimos na SOMMAR) foi o de priorizar o trabalho Home Office. Dependendo do segmento da empresa e da atividade do colaborador, um trabalho remoto é super possível! Refletindo um pouco mais, talvez até mais rentável e produtivo que o tradicional. Analisemos a situação superficialmente: há uma série de impactos que essa medida de home office traz nas três esferas: ambiental, social e econômica. Deixando seus contratados em casa gera-se uma diminuição de automóveis nas ruas, consequentemente a redução de CO2 no planeta, afinal não é necessário locomoção -ambiental-. Em crise ou não, dependendo do perfil do colaborador, talvez alguns dias trabalhando remotamente aumente sua satisfação pessoal com o trabalho e, por consequência, sua produtividade total, pois satisfação pessoal e produtividade caminham juntas -social e ambiental-.

Na visão macro parece um trabalho de formiguinha, mas na micro, se cada um faz um pequeno esforço a natureza agradece.

Deixemos a reflexão: qual a medida do seu impacto?

Nayara Medeiros
Nayara Medeiros
nayara.medeiros@sommar.eco.br
Sem comentários

Postar um comentário

×